SERVIÇO DE NUTROLOGIA AJUDA A SALVAR VIDAS

Evitar o consumo excessivo de alimentos industrializados, sódio, açúcar e gorduras é fundamental para uma vida saudável. Mas a qualidade da alimentação passa a ser ainda mais importante quando o corpo está doente. Por isso, durante uma internação hospitalar, o trabalho integrado das áreas de Nutrologia — especialização médica em doenças provocadas pela alimentação inadequada — e de Nutrição — que orienta o paciente no que diz respeito à alimentação adequada para prevenir e tratar as doenças — é essencial.

 

 

Os pacientes internados nos hospitais do Grupo Santa — Santa Lúcia, Santa Helena, Prontonorte e Maria Auxiliadora — recebem o acompanhamento de um grupo de profissionais especializados em assegurar o aporte calórico adequado para impulsionar a eficácia dos tratamentos médicos: a Equipe Multidisciplinar de Terapia Nutricional (EMTN).

 

 

Liderada por médicos nutrólogos, a EMTN é responsável por escolher as combinações alimentares que fornecem os nutrientes adequados para a recuperação dos pacientes, graves ou não, acelerando o processo de cicatrização, controlando possíveis inflamações e fortalecendo o sistema imunológico.

 

 

“Todos os pacientes em terapia nutricional são visitados diariamente pela EMTN. Após cada encontro, o caso é discutido e, com base em exames físicos e laboratoriais, a equipe define a melhor conduta a se adotar para o paciente”, explica o nutrólogo Allan Ferreira, integrante da EMTN.

 

 

Implantado no Hospital Santa Lúcia no ano 2000, o serviço de Nutrologia foi expandido, a partir de 2012, para as outras três unidades por meio do Instituto Brasiliense de Nutrologia (Ibranutro), composto pelos médicos Allan Ferreira, Fabiano Girade e Denizard Ferreira, coordenador do EMTN e pioneiro na implantação do serviço em Brasília.

 

 

CASOS MAIS GRAVES – Boa parte dos pacientes já chega ao hospital com quadro de desnutrição,  na maioria das vezes consequência da falta de apetite ou de problemas relacionados à própria doença. Por isso, a ação precisa e rápida da equipe multidisciplinar — integrada por médicos nutrólogos, nutricionistas, enfermeiros e farmacêuticos — faz toda a diferença.

 
De acordo com Allan Ferreira, os casos mais graves encontrados na UTI são os que exigem mais atenção. “A terapia nutricional agressiva iniciada em pacientes graves até 48 horas após a sua internação pode reduzir a mortalidade e as complicações cerca de 25 a 30%”, detalha. Em geral, a mortalidade de pacientes desnutridos é até três vezes maior em uma internação, porque o quadro diminui as defesas imunológicas e, se associado a uma doença, potencializa riscos como o de infecções e tende
a aumentar tempo de permanência do paciente no hospital.

21/09/2015

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

fotoLateral